Poiésis

domingo, agosto 15, 2010

Andrea Doria e Renato Russo (Entrevista)

iHola! ¿Cómo estás ?

Hoje resolvi ouvir e postar essa música que curto muito chamada Andrea Doria, do álbum Dois (1986).
Como não se identificar com alguma canção dessa banda maravilhosa chamada Legião Urbana? Também acreditei que “poderia fazer florestas num deserto”, e que “o mundo era só improvisar...” Mas também percebi e aprendi que “vendi fácil aquilo que não tinha preço...” 
Música linda e letra também! Tem como ouvir e não se emocionar? Difícil, não?!
Abaixo do vídeo, consegui achar uma preciosidade! Uma entrevista concedida à Letras, Músicas e Outras Conversas pelo próprio Renato Russo sobre a composição de Andrea Doria.


Entrevista concedida a: Letra, Música e Outras Conversas - Leoni - Editora Gryphus, 1a. edição, pp. 66-67.


Leoni - Fiquei meio angustiado quando comecei a ouvir os discos porque às vezes não captava qual era o tema da letra. Eu achava que devia estar deixando escapar alguma coisa. Aí fiquei pensando em confessar a minha ignorância e perguntar. Andrea Doria, por exemplo...

Renato Russo- Ah, essa eu sei. Andrea Doria é a mesma coisa de Será: (com uma voz empostada) um jovem que quer mudar o mundo e que está tudo horrível. Uma coisa que a Legião sempre tem, uma menina da MTV colocou isso muito bem: parece muito um livro chamado Os Meninos da Rua Paulo. Se lembra do Nemetcheque? Era um menino todo bonzinho, queria fazer tudo direito e sempre tomava na cabeça. Ele acaba morrendo de pneumonia, parece. Seria um personagem como ele que estaria cantando essas músicas. É um jovem que acredita na virtude, em fazer as coisas corretamente, de acordo com as regras e fica batendo contra a parede porque esse mundo não funciona.

Renato Russo- Andrea Doria coloca bem isso, a questão da juventude, ter sonhos, fazer planos e esbarrar neste mundo de hipocrisia, de mentira, do capitalismo, de consumismo e a gente fica sem saber o que fazer. Andrea Doria é um navio mesmo. A idéia era fazer uma imagem meio E La Nave Va e coisas que talvez eu nunca me lembre porque entraram na letra. Na hora de escolher o título da música fizemos um monte de mitologias para a coisa ficar legal. Eu me lembro que Andrea Doria é um navio que afundou, a idéia era para ser: naufrágio. E no caso Andrea Doria é uma menina. O que ligou a música toda foi uma conversa que eu tive com a Luciana, mãe do Bi , e com a Tetê , no Crepúsculo de Cubatão . As duas estavam reclamando da vida ser muito difícil e a Tetê estava meio deprimida. Fiquei pensando: "Que coisa chata". Porque eram coisas que eu sentia também. Nem sempre adianta ser bom, ser honesto.

Renato Russo - Peguei essa situação inicial e fiz a música que é um diálogo entre uma menina que era cheia de vida, alegria e planos e que sempre me deu força e que nesse instante é quem está derrubada. Aí então sou eu falando para ela. Tem coisas que fala para mim e tem coisas que falo para ela: "Às vezes parecia que de tanto acreditar em tudo que achávamos tão certo/ Teríamos o mundo inteiro e até um pouco mais". É aquela coisa dos planos, o mundo está horrível, mas nós vamos conseguir, vamos juntos etc. Aí no meio do caminho: "Mas percebo agora que o seu sorriso vem diferente/ Quase parecendo te ferir". Quando você entra no mundo adulto se não tomar cuidado deixa entrar o cinismo, fica "jaded" .

Renato Russo - a música é uma conversa em cima disso: "Olha, realmente a coisa é difícil, mas não é por aí". Termina justamente falando: "A gente tem toda a sorte do mundo", sem especificar, que bem ou mal a gente não é favelado, não morre de fome. "Sei que tenho sorte, como sei que tens também". Uma das grandes temáticas das letras é exatamente essa, só que são sempre pequenas situações, colocadas de um certo jeito que a pessoa interpreta de outra maneira. Sempre tem uma historinha, uma mitologia.


Um abração a todos ! i Hasta luego!

Baixar e-book

4 comentários:

Lohan Lage Pignone disse...

Nossa, como é bom acessar o seu blog... Dá uma paz...!

Adorei os últimos posts.
Bjs, Lohan.

Simone Prado disse...

rsrs... Obrigada, Lohan! Legal saber isso. Um abração.

elder lima disse...

Simplesmente uma música maravilhosa dentre tantas compostas pelo Renato! Parece que eu me vejo nessa letra, adolescente querendo mudar o mundo, mas sem se dar conta da hipocrisia e da mentira que me cercava!

Parabéns pelo post, Renato sempre foi uma de minhas maiores fontes de inspiração!

Simone Prado Ribeiro disse...

Valeu, Elder! Sim, concordo com suas palavras. Também gosto muito de " Lobisomem Juvenil" Ah... esses mundos paralelos.. Ainda bem!

Gde abraço!!