Poiésis

segunda-feira, setembro 20, 2010

Samurai de mim...



Um golpe de anos a cada folha revisitada.
Fez de mim samurai... Haraquiri:
Reler palavras suas escritas em papéis desbotados.
Suas confidências, seu planos
E não ter mais escolha...
Cartas aflitas de saudades e sentimentos puros,
E, mesmo assim, poder sentir suas declarações em verso simples, quase adolescente:

... aquela que vejo e quero,
Espero aflito.
Toda cor e paz que sinto,
É no teu abraço que encontro abrigo.

Tenho vontade de correr
Ser mais rápido que o tempo,
Só para te encontra e te amar,
E acabar com esse tormento.

Não haverá noite, lua imensa
Que comporte o amor e alma intensa.
É assim que te vejo
É assim que te sinto
Aflito


Haraquiri -
A cada folha amarelada,
A cada dia que passou comigo,
E de tantas vezes que me calei para te ouvir e aprender contigo.
Sim, me lembro. E como me lembro...
Só ficou um pedaço seu que me faz sentir você,
Sua letra, suas palavras num velho papel junto a mim:
Suas cartas,
Elas já não pesam mais sobre a minha cama...

Você dizia:


 ...não repare na minha letra, sei que ela é muito feia. Mas estou me esforçando... 

Pois você acreditava ser feia e tremida,
O que você não sabia era que, das muitas cartas na caixa de correios que recebia,
Era a sua letra, para mim, a mais bonita.


Sigo a minha linha sozinha.
Um dia, querendo ou não, tudo acaba.

Quando você se foi
As portas se fecharam
E a luz se apagou.




Letra: É hora de partir o coração
(Canção: Guilherme Arantes)

O trem entrou pela manhã
Freando na estação
No ar frio, vapores brancos
Da nossa respiração
Se misturando com a fumaça
E a vontade de chorar
Levei suas malas até o seu vagão
E te abracei em silêncio
Até o ranger das rodas
Começando a andar...

É hora de partir o coração
Sentir saudade de você
Amor...

Me dando adeus pela janela
Essa é a imagem que ficou
Naquela plataforma
Por um tempo que parou
Então fui-me embora
Ganhei a rua
Me perdi na multidão
Enxuguei o choro
Engoli em seco
A tua ausência agora
Meu caminho
É bem mais triste de trilhar

É hora de partir o coração
Sentir saudade de você
Amor...

10 comentários:

Andréa Amaral disse...

Simone, que saudades que estou de você...ando em falta com todos, até comigo mesma, mas não tenho como evitar as fases lunares, não é?
Doce, terna erva-cidreira. Muito bom te ler e te ver nesta janela. Amo seu blog. Beijos.

Simone Prado disse...

rsrs... Oi Andrea!! "...doce e terna erva cidreira..." foi engraçado! Gostei! Obrigada!! Aparecça sempre que quiser nesse cantinho aqui. Um beijão no coração
Si.

Rucci disse...

Obrigado pelo comentário no meu blog. Costumo atualizar pouco, mas fico feliz quando percebo que algumas pessoas apreciam o meu trabalho. Parabéns também pelo seu Blog, é muito bem escrito.

=]

Beijocas!

Simone Prado disse...

Nossa... Mas faz tanto tempo!!! Foi no ano passado... (rs) Legal ver você por aqui e surpresa boa por ver seu comentário !
Um abração! Seus trabalhos são muito legais também.

Anônimo disse...

Carta é algo que caiu em desuso por muitos. O romantismo que a impregnava parecia que era mais romântico pelo escrever, pela espera, a surpresa. Sou do tempo não muito antigo. Parabéns pelo blog e poesia ;)

F. César

Simone Prado disse...

Sim, F. César! Também adorava receber cartas. Tenho todas guardadas comigo. Vejo como parte das pessoas por conter ali sua escrita, a letra da pessoa, e pensar que as mãos delas passaram por ali. É como se fosse parte de alguém num pedaço de papel que está comigo. É assim que vejo e sinto (rs). Também não sou do "tempo não muito antigo" (rs), mas gosto de receber e-mails também!
Obrigada pelo elogio e comentário. Volte sempre quando quiser.
Um abração!
Si.

Lohan Lage Pignone disse...

Nossa, Simone...

Eu já tinha lido esse poema que você escreveu, mas, que engraçado, só agora, relendo, é que pude sentí-lo de fato, é que... Mexeu comigo mesmo.

Sei lá, bateu um sentimento, como se fosse uma saudade que nunca senti. Como se um dia eu fosse ler algo de alguém que tanto amei, e chorar muito, rs. Que estranha essa sensação!


Que poema forte esse, realmente. E para reforçar, essa bela canção, a qual eu desconhecia, até então.

Não quero que minha luz se apague em letras antigas...

Beijão, parabéns de verdade por essa jóia.

Simone Prado disse...

Obrigada, Lohan, por suas palavras sobre o poema, sei que são verdadeiras. As suas reflexões deixadas aqui também são lindas e só vem acrescentar ao poema ainda mais beleza. Sei também que a poesia tem disso, essa expressão, essa composição de algo que existe na vida e que nos permite sentir.
Sobre a música, a considero como uma das mais lindas que já conheci, e essa montagem no clip também ficou muito legal.
Um beijão!!
Si.

Profa. Maily Anne disse...

A música é realmente linda! Eu já conhecia. Parabéns! Seu blog está lindo!!! Beijos.
obs: Mesmo com pouco tempo, ainda consigo apreciar uma boa poesia, ainda mais acompanhada por uma linda música.

Simone Prado disse...

Mailyzinha! Obrigado por suas palavras e visita! Que bom que gostou do blog. Essa música ,para mim, é linda também.
Um beijão!!
Si.