Poiésis

segunda-feira, abril 19, 2010

Ciúme

E pensar que ele já não está mais aqui.
Está longe, abraçado a outro corpo e na cama dela.
Rindo das futilidades da vida, trocando carinhos e se beijando em pleno calor da noite.
Conversam baixinho, tão próximos um do outro a ponto de sentir o cheiro dele.
O seu olhar de desejo, o seu abraço apertado e peito quente, confidências de sonhos cotidianos mudaram para outro endereço. Ele se abrigou em outro corpo.
Não me importo. Sou kamikaze de mim, peço desculpas a mim
se tais pensamentos suporto e me agridem por dentro.

. . . . .

Reunirei meus pedaços quando o tempo bater na minha porta.



2 comentários:

Iraci disse...

Nossa, Simone!!! Quanta inspiração... Engraçado como o ser Humano pode ter tanta "poesia em Si" sem viver esses momentos de flagelo na alma que você consegue passar com tanta sutileza nas suas poesias...Muito interessante. Sempre pensei que essas poesias escritas por esses poetas conhecidos fossem todas feitas por pessoas que já passaram por alguma angústia ou tristeza, mas você é prova viva de que não é bem assim. Pelo que sei, não vejo você como uma pessoa amargurada ou que tenha "chagas" na alma... Muito pelo contrário, te vejo como uma pessoa alegre, comunicativa e cheia de vontade de viver, cheia de sede de conhecimento e de saber...Vou continuar lendo... Tô gostando!!! Um beijo

zeze disse...

amiga, que poesia é essa? linda , e depois dizem que a arte nao retrata a vida, quem mesmo que disse? beijosss, voce é maravilhosa.seus textos nos faze crescer a cada minuto, quando eu terminar a faculdade quero ser seu aluno.